Fisioterapia em pacientes pós AVC

As consequências de um AVC podem causar grandes limitações ao indivíduo acometido, sendo as mais comuns: ansiedade, depressão, distúrbios do sono, distúrbios da função sexual, distúrbios motores e sensoriais, distúrbios cognitivos e de comunicação, alterações fisiológicas durante atividades físicas.

Para que estes indivíduos tenham um maior sucesso na reabilitação é necessário que a fisioterapia se inicie logo após o quadro clínico se estabilizar.

Esta reorganização é também responsável pelas modificações que são observadas clinicamente no sistema neuromuscular dos indivíduos.

 

Por esses meios, diz-se que o indivíduo pode reaprender atividades desenvolvidas por ele previamente de forma espontânea e harmoniosa. Porém, este processo é lento e gradual, devendo ser valorizados os pequenos progressos de cada dia.

 

Portanto, é responsabilidade do terapeuta selecionar métodos que sejam mais eficientes para a necessidade de cada paciente. Existe uma variedade de combinações de procedimentos terapêuticos para ajudar o indivíduo a aprender ou reaprender o padrão de resposta normal.